textimagens - rosaura soligo

domingo, 3 de outubro de 2010

quando tudo acaba é só o começo?

leonardo soares
O moço entra na escola com o santinho dobrado, guardado no bolso de trás. Dali a pouco vai pra cabine e põe o santinho à vista, para ampará-lo na escolha. Sai de lá com o papel amassado, metido de novo no bolso. Já não serve mais pra nada, mas não há onde jogar. Liga a noiva e dita a listinha, que ela o conhece bem. Ele ri, que tem papelzinho: pão, leite, café, mortadela, blá, blá... Compra e confere tudo, ajeita a sacola no braço e vai pro ponto esperar. Daí joga a lista na rua que não tem ninguém ali e uma só não há de aumentar. Repara no fim da rua que sobem nuvens ao céu e faz uma prece com fé: que não venham chuvas que inundam, não apareçam bandidos maus, a fome não mais exista, todos tenham casa e trabalho, os filhos sejam felizes, que a vida seja melhor! 
[à moda de Julio Cortázar, quando fala do jornal]

4 comentários:

  1. Ma-ra-vi-lho-so... Mal começaram e já estão se superando. Beijos
    Rosana

    ResponderExcluir
  2. Liana Arrais Seródio3 de outubro de 2010 22:08

    Rô,
    E você já tinha visto esta foto de estrelas no chão quando escolheu o vídeo do pequeno terreno baldio?
    Aí estão os segredos dos poetas.
    Que são apagadores de tempo...
    Liana

    ResponderExcluir
  3. Uma lindeza. Mais uma.

    ResponderExcluir
  4. Rosaura e Leo,
    Que duplinha do balacobaco hein!!!
    Parabéns pela ideia, pelas fotos, pelos textos, pelo fato.
    Estou encantada e emocionada com tamanha generosidade: do olhar do Leo pela sensibilidade dos registros e da alma da Rosaura por traduzir isso em textos.
    beijos grandes procês.
    Lúcia

    ResponderExcluir